Aromaterapia como terapia complementar para Animais

Tutores de animais de estimação procuram cada vez mais terapias menos agressivas para tratarem dos seus pets. Essas terapias, chamadas de complementares, costumam ser usadas para cuidar de problemas como estresse, hiperatividade, ansiedade, depressão, dores musculares e articulares, dentre outros.

Vamos conhecer a Aromaterapia:

É o tratamento através dos aromas, das fragrâncias. A ação terapêutica se dá através dos óleos essenciais (óleos essenciais são compostos voláteis extraídos das plantas), e acontece num nível mais elevado, mais sutil que o da planta inteira ou seu extrato, tendo, um efeito pronunciado sobre o físico, a mente, as emoções e os campos energéticos.

Os conceitos da Aromaterapia para uso em Animais estão fundamentados na visão holística de tratamento – a percepção do Universo e do bicho como um todo harmonioso e indivisível. A saúde holística objetiva o bem estar do ser total, não limitada aos sintomas da enfermidade. Ela está baseada na suposição que corpo, mente, emoções e espírito formam uma unidade indivisível e que o desequilíbrio em um desses níveis causa a doença.

De uma forma geral, as terapias holísticas possuem um efeito bem rápido e efetivo nos animais. No caso da Aromaterapia, os animais por terem o olfato muito mais desenvolvido que o dos humanos, respondem muito bem ao tratamento. A absorção dos óleos se dá pelo olfato e através da pele (tato). As ramificações dos nervos olfativos na cavidade nasal de um cão, por exemplo, ocupam 160 centímetros quadrados e no homem ocupam 5 centímetros quadrados. As células olfativas, no homem, são em número de 5 milhões – em um pastor alemão, por exemplo, são 220 milhões. O olfato nos gatos também é muito desenvolvido. Os gatos possuem um órgão chamado vomeronasal no céu da boca que os ajuda a identificar odores. É como se sentissem o gosto do cheiro. É considerado o segundo sistema olfativo do gato.